Anuncie Aqui

Conjuntura

IBGE PREVÊ SAFRA DE GRÃOS MENOR NO NORDESTE EM 2018

Agência Prodetec – Brasília – 01 dezembro 2017.

Saiu o primeiro prognóstico do IBGE para a safra 2018 de cereais, leguminosas e oleaginosas do país, estimada em 220,2 milhões de toneladas, 8,9% abaixo da safra de 2017. No Nordeste pode haver recuo de 5,8%, um pouco maior que o previsto para o Norte (-3,2%), mas menor que as reduções indicadas para Sudeste (-4,8%), Sul (-12,3%) e Centro-Oeste (-8,0%).

De acordo com o IBGE, no recorte regional, a redução tem como justificativa as condições climáticas observadas em quase todos os estados produtores, afetando, sobretudo, as culturas de soja e milho bem como o algodão herbáceo e o arroz.

A área total de cultivo prevista para o próximo ano deve permanecer praticamente estável. Segundo a pesquisa do IBGE em 2018 ela deve atingir pouco mais de 8 milhões de hectares ante 7,9 milhões em 2016, variação de apenas 0,6%.

Leia
 
SALDO DE CRÉDITO DO NORDESTE CONTINUA A CAIR, EM OUTUBRO

Agência Prodetec – Brasília – 01 dezembro 2017.

O saldo de empréstimos do sistema financeiro do Nordeste alcançou R$ 396 bilhões no final de outubro, com redução de 0,3% no comparativo com o mês anterior, a maior queda entre as grandes regiões brasileiras. No Sul e Centro-Oeste o desempenho foi positivo, com acréscimos de 0,9% e 0,6%, e saldos de R$554 bilhões e R$335 bilhões, respectivamente. No Sudeste, houve queda de 0,1% para saldos da ordem de R$1.605 bilhões.

No geral, o estoque de crédito do país atingiu R$ 3 trilhões e 52 bilhões em outubro último, com variações de 0,1% no mês e de -1,4% em 12 meses, o que reflete o panorama de estagnação da economia brasileira. A participação do crédito no PIB ficou em 46,9% em outubro ante 47% em setembro e 49,9% em outubro de 2016.

Conforme os dados divulgados pelo Banco Central, no Nordeste, os saldos de outubro mantiveram-sepraticamente no mesmo patamar de janeiro. O desempenho ao longo do ano apresenta altos e baixos, com pico de R$ 399,4 bilhões em agosto.

Leia
 
PIB DO NORDESTE PERMANECE CONCENTRADO EM 4 ESTADOS

Agência Prodetec - Rio de Janeiro – 01 dezembro 2017.

Dados das Contas Regionais relativas a 2015, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que apenas quatro estados são responsáveis por quase três quartos do Produto Interno Bruto (PIB) do Nordeste, cerca de 72%.

Segundo o documento, a Bahia continua na liderança com uma participação da ordem de 28,9% em toda a economia do Nordeste, porcentual maior que o conjunto representado por Alagoas, Sergipe, Paraíba, Rio Grande do Norte e Piauí.

Os outros estados com maior participação foram Pernambuco (18,5%), Ceará (15,4%) e Maranhão (9,3%). A participação dos demais correspondem a 4,6% do Piauí, 6,7% do Rio Grande do Norte, 6,6% da Paraíba, 5,5% de Alagoas e 4,5 de Sergipe.

Leia
 
NO NORDESTE, PREÇOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL POUCO VARIAM EM OUTUBRO

Agência Prodetec – Brasília – 01 dezembro 2017.

O Índice Nacional da Construção Civil apurado pelo IBGE PI) em outubro apresentou variação de apenas 0,09% no Nordeste, registrando quedas no Ceará (0,21%), Maranhão (0,22%) e Sergipe (0,25%). No acumulado do ano essa variação ficou em 3,7% ante 3,75% no acumulado anual.

No Brasil, o crescimento em outubro alcançou 0,16% contra 0,27% em setembro. Em 12 meses o reajuste ficou em 3,75% contra 3,14% no período janeiro-outubro deste ano.

Conforme a pesquisa do IBGE, o item referente aos materiais de construção apresentou as menores variações nos estados do Maranhão, Ceará e Sergipe.

O custo nacional da construção por metro quadrado no Brasil subiu de R$ 1.057,99 para R$ 1,059,68 entre setembro e outubro.

Leia
 
IBGE ESTIMA AUMENTO DE 89% PARA A SAFRA DE GRÃOS DO NORDESTE, EM 2017

Rio de Janeiro (Agência Prodetec) - O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje a quinta estimativa do ano para a safra de cereais, leguminosas e oleaginosas, em 2017. A previsão é de um aumento de 29,2% sobre a registrada em 2016, totalizando 238,6 milhões de toneladas ante 184,7 milhões de toneladas no ano anterior.

Para o Nordeste, os dados são bastante otimistas. Quando comparada à anterior, a safra de 2017 deve avançar nada menos que 89%, para 17,9 milhões de toneladas, crescimento três vezes superior à média nacional de 29,2%. O destaque é para as produções previstas nos estados da Bahia e Maranhão.

O incremento esperado para a safra nordestina é o maior entre as grandes regiões brasileiras, mas em termos absolutos apenas supera aquela aguardada no Norte.

Leia
 
CRÉDITO NO NORDESTE COM SALDOS EM BAIXA E INADIMPLÊNCIA EM ALTA

Brasília (Agência Prodetec) – O estoque de crédito do Nordeste voltou a cair em abril, totalizando saldos da ordem de R$ 395.970 milhões no final do mês, queda de 1% em relação a março. O mesmo período assinalou crescimento da inadimplência total, de 4,14% para 4,26%.

Os dados do Banco Central do Brasil mostram que em âmbito nacional o decréscimo do crédito foi de apenas 0,2%, somando R$3.072 bilhões, enquanto no acumulado de 12 meses caiu 2,2%.

Desse montante, as operações com pessoas físicas cresceram 0,1% no mês, alcançando R$1.577 bilhões, enquanto a carteira de pessoas jurídicas decresceu 0,5%, para R$1.495 bilhões. Esse panorama basicamente se repete no Nordeste, onde o saldo de empréstimos para pessoas físicas permaneceu estável em relação a março, chegando aos R$ 244.617 milhões, enquanto houve declínio de 0,98% no caso das operações com pessoas jurídicas (R$ 151.353 milhões).

Leia
 
NORDESTE. PREÇO DO IMÓVEL EM FORTALEZA, RECIFE E SALVADOR NÃO ACOMPANHA INFLAÇÃO

São Paulo (Agência Prodetec) – Embora a inflação tenha sinalizado retração no primeiro trimestre deste ano, em nenhuma das três principais cidades do Nordeste o preço dos imóveis teve valorização real, seja no mês de março seja no acumulado do ano.

Segundo a pesquisa Fipe/Zap, a variação em março ficou em 0,11% em Salvador, -0,96% em Fortaleza e -0,64% no Recife. Somente na capital baiana, a variação situou-se acima da média registrada nas 20 cidades acompanhadas pelo índice FipeZap.

No acumulado de 2017, considerada o panorama nacional, o preço médio do metro quadrado para apartamento com venda anunciada variou -0,09% para uma inflação estimada em 0,94% no período, o que representa queda real.

Leia
 
ESTOQUE DE CRÉDITO NO NORDESTE CONTINUOU LADEIRA ABAIXO EM 2016

Brasília (Agência Prodetec) - O estoque total de crédito do sistema financeiro do Nordeste fechou o exercício de 2016 em R$ 397,3 bilhões, praticamente o mesmo patamar de novembro (R$ 397,5 bilhões). Considerada a posição de dezembro de 2015 (R$ 404,8 bilhões), houve queda de 1,85%.

De acordo com os dados do Banco Central, as operações do sistema financeiro nacional em dezembro, da ordem de R$ 3 trilhões e 107 bilhões, registraram aumento de 0,1% no mês. O decréscimo anual (3,5%) foi quase o dobro do observado no Nordeste.

Em relação ao saldo nacional, a participação nordestina ficou em apenas 12,7%, percentual que se aproxima da participação do Nordeste no Produto Interno Bruto do país.

Leia
 
IBGE PREVÊ AUMENTO RECORDE DA SAFRA DE FEIJAO, MILHO E SOJA NO NORDESTE

Rio de Janeiro (Agência Prodetec) – O último Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do IBGE (LSPA) mostra muito otimismo dos produtores rurais do Nordeste, apesar das incertezas quanto às condições climáticas em 2017. O estudo indica ampla recuperação das culturas de feijão (+109,1%), milho (95,2%) e soja (66,8%).

No geral, a safra do Nordeste deve alcançar 16,5 milhões de toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas, crescimento de 73% sobre a de 2016.

Desse grupo de produtos pesquisado (algodão, amendoim, arroz, feijão, milho, mamona, soja, sorgo e amendoim) apenas a mamona e sorgo não apresentaram perspectiva de aumento em 2017.

Leia
 
AGRICULTURA. SAFRA DE ALGODÃO DO NORDESTE DEVE CRESCER 15,3% EM 2017

Rio De Janeiro (Agência Prodetec) – A produção de algodão em caroço do Nordeste deve crescer 15,3% este ano sobre a safra de 2016, totalizando 1.003 mil toneladas. A safra nacional deve ficar em 3,3 milhões de toneladas, acréscimo de 7%.

A redução de 4,8% na área a ser colhida tende a ser compensada pela elevação de 12,3% no rendimento médio da cultura.

De acordo com o último Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) do IBGE, a área total a ser colhida no Nordeste foi estimada em 928 mil hectares contra 975 mil hectares em 2016. No caso da produtividade, a expectativa é de que alcance 3.885 quilos por hectare ante 3.460 quilos no ano passado.

Leia
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 36

A agência Prodetec é uma ferramenta voltada para divulgar artigos, estudos e pesquisas
sobre assuntos relacionados com o Nordeste

Imagine Comunicação Digital

Todos os direitos reservados. Reprodução do material permitida mediante citação da fonte.