Anuncie Aqui

AGRICULTURA NORDESTE. VBP DO ARROZ CAIU 84% NO MARANHÃO, EM DEZ ANOS

Brasília (Agência Prodetec) – Os estudos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) sobre o valor da produção agropecuária do país mostra o amplo declínio da cultura do arroz no Maranhão. Em dez anos, o VBP do arroz maranhense decresceu 84%, perdendo espaço para outros estados brasileiros.

De segundo maior produtor nacional de arroz em 2007, logo após o Rio Grande do Sul, o Maranhão passou a ocupar o quinto lugar no ano passado. No intervalo, o VBP da lavoura caiu de R$ 952 milhões (valores nominais) para R$ 152,6 milhões apenas, atrás de Rio Grande do Sul (R$ 6.890 milhões), Santa Catarina (R$ 952,6 milhões), Mato Grosso (R$ 440,7 milhões) e Pará (R$ 193,1 milhões).

Conforme o estudo do MAPA, o faturamento com o arroz no Maranhão seguiu declinante de 2007 até 2012. No biênio 2013/14, ocorreu uma recuperação, voltando a cair nos três anos seguintes.

VBP DO ARROZ NO MARANHÃO ENTRE 2007 E 2016.

ANO

VALOR DO VBP EM R$1,00

VAR.(%) S/ANO ANTERIOR

2007

952.019.547

---

2008

746.424.374

-21,59

2009

675.727.240

-9,47

2010

570.984.282

-15,50

2011

560.592.666

-1,81

2012

365.125.373

-34,86

2013

476. 091.156

30,39

2014

576.329.960

21,05

2015

284.407.710

-50,65

2016

152.610.612

-46,34

2016/2007

-----

-83,97

Fonte: MAPA. Elaboração Agência Prodetec.

Menor participação

Mesmo com a diminuição registrada nos últimos dez anos, o Maranhão continua com a maior representatividade entre os demais estados produtores de arroz do Nordeste. Contudo, sua contribuição declinou 17 pontos percentuais. Em 2007, o estado respondia por 74% do VBP total da lavoura; no ano passado, essa participação desceu para 57%.

O VBP do arroz no Nordeste totalizou R$ 1.285,8 milhões em 2007 contra R$ 263,3 milhões no ano passado. Na década sob análise, o Piauí ocupa o segundo lugar em termos de VBP no Nordeste. Em 2016, o VBP de arroz no estado alcançou R$41,3 milhões, seguido por Sergipe (R$ 14,5 milhões) e Alagoas (R$ 14,4 milhões).

A análise das culturas mais relevantes no Maranhão em termos de valores indica, igualmente, a perda de espaço da lavoura algodoeira, que já foi a mais relevante do Estado.

Nos últimos dez anos, o algodão cedeu lugar, por exemplo, para o algodão, banana, cana-de-açúcar, mandioca, milho e soja. Dos produtos listados abaixo somente as culturas do arroz e da mandioca não apresentaram avanços em termos de valores de produção.

MARANHÃO. VBP 2007 E 2016. PRODUTOS SELECIONADOS.

ANO

VBP 2007 – R$ 1,00

VBP 2016 – R$ 1,00

Algodão

33.188.711

242.745.416

Arroz

952.019.547

152.610.612

Banana

137.532.871

159.607.133

Cana

167.407.050

182.927.654

Feijão

93.003.475

151.321.131

Mandioca

576.284.038

397.576.254

Milho

288.786.044

448.960.943

Soja

1.056.985.281

1.509.013.724

Fonte: MAPA. Elaboração Agência Prodetec.

Cultivado em mais de 200 municípios maranhenses, embora apenas 14 deles respondam por um quarto da produção, o que evidencia a alta concentração da produção estadual, a produção de arroz apresenta muitas fragilidades no Maranhão.

A tabela abaixo ratifica as dificuldades do segmento no Estado, com a redução tanto da área ocupada como da produção entre 2007 e 2015. Conforme a Conab, a área de cultivo desceu de 477,6 mil hectares para 178 mil hectares, enquanto a produção retrocedeu de 700 mil toneladas para 254 mil toneladas. A manutenção dos níveis de produtividade impediu um desempenho pior das safras.

ARROZ NO MARANHÃO. ÁREA E PRODUÇÃO 2007/2015.

SAFRA

AREA OCUPADA (1.000 HA)

PRODUÇÃO (1.000 T)

PRODUTIVIDADE (KG/HA)

2007

   477,6

699,7

1.465

2008

         478,6

    605,0

1.264

2009

         470,0

  514,7

1.095

2010

         469,7

734,6

1.564

2011

         426,0

  467,7

   1.098

2012

416,2

495,7

         1.191

2013

         389,1

   658,4

1.692

2014

349,8

496,0

1.418

2015

  178,0

   254,5

1.430

Fonte: Conab.

Postagem em 30 jan.2017.

Voltar

 

AGRICULTURA NORDESTE. VBP DO ARROZ CAIU 84% NO MARANHÃO, EM DEZ ANOS

Brasília (Agência Prodetec) – Os estudos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) sobre o valor da produção agropecuária...

AGRICULTURA. SAFRA DE ALGODÃO DO NORDESTE DEVE CRESCER 15,3% EM 2017

Rio De Janeiro (Agência Prodetec) – A produção de algodão em caroço do Nordeste deve crescer 15,3% este ano sobre...

IBGE PREVÊ AUMENTO RECORDE DA SAFRA DE FEIJAO, MILHO E SOJA NO NORDESTE

Rio de Janeiro (Agência Prodetec) – O último Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do IBGE (LSPA) mostra muito otimismo dos...

Estudos e Pesquisas

ESTUDO MOSTRA CEARÁ E MARANHÃO COM A MELHOR SITUAÇÃO FISCAL DO PAÍS, EM 2016.

Uma análise realizada por pesquisadores cariocas indica que estados pobres como Ceará e Maranhão apresentam situação fiscal bem melhor que os chamados estados ricos, com desempenho superior em aspectos como dívida, despesa com pessoal, disponibilidade de caixa e investimentos. AGÊNCIA PRODETEC ΩΩ [ABRIL 2017] Rio de Janeiro – A situação fiscal da maioria dos estados do Nordeste é melhor que a apresentada...

FORÇA DE TRABALHO DE REGIÕES MAIS POBRES CONTINUA PENALIZADA PELA CRISE

Rio de Janeiro (Agência Prodetec) – De acordo com dados da PNAD Contínua, o Nordeste continua registrando a maior taxa de desocupação da força de trabalho entre as grandes regiões brasileiras: 16,3% no primeiro trimestre deste ano ante uma média de 13,7% para o país como um todo. Em relação ao quarto trimestre de 2016, quando cravou 14,4%, o aumento...

Veja também

ABASTECIMENTO IRREGULAR DE ÁGUA NÃO AFETA EXPORTAÇÃO DE FRUTAS FRESCAS DO NORDESTE

Brasília, 15 Maio 2017 (Agência Prodetec) - As exportações de frutas frescas do Nordeste cresceram mais de um quarto no...

NO NORDESTE, EXPORTAÇÕES VOLTAM A CRESCER MAIS QUE IMPORTAÇÕES

Brasília, 15 Maio 2017 (Agência Prodetec) - Nos quatro primeiros meses deste ano, observou-se expansão tantonas importaçõesquanto nas exportações do...

VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA (VBP) DO NORDESTE CHEGA A R$ 42,4 BILHÕES EM 2016

Brasília (Agência Prodetec) - De acordo com Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o Valor Bruto da Produção agropecuária...

A agência Prodetec é uma ferramenta voltada para divulgar artigos, estudos e pesquisas
sobre assuntos relacionados com o Nordeste

Imagine Comunicação Digital

Todos os direitos reservados. Reprodução do material permitida mediante citação da fonte.