Anuncie Aqui

Conjuntura

AGRICULTURA NORDESTE. VBP DO ARROZ CAIU 84% NO MARANHÃO, EM DEZ ANOS

Brasília (Agência Prodetec) – Os estudos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) sobre o valor da produção agropecuária do país mostra o amplo declínio da cultura do arroz no Maranhão. Em dez anos, o VBP do arroz maranhense decresceu 84%, perdendo espaço para outros estados brasileiros.

De segundo maior produtor nacional de arroz em 2007, logo após o Rio Grande do Sul, o Maranhão passou a ocupar o quinto lugar no ano passado. No intervalo, o VBP da lavoura caiu de R$ 952 milhões (valores nominais) para R$ 152,6 milhões apenas, atrás de Rio Grande do Sul (R$ 6.890 milhões), Santa Catarina (R$ 952,6 milhões), Mato Grosso (R$ 440,7 milhões) e Pará (R$ 193,1 milhões).

Leia
 
IBGE PREVÊ SAFRA RECORDE EM 2017 COM AUMENTO DE 73% NO NORDESTE

Rio de Janeiro (Agência Prodetec) – O prognóstico do IBGE é de uma safra recorde de grãos, em 2017: 213,7 milhões de toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas no Brasil.

A estimativa é de um aumento de 16,1% sobre a safra de 2016, que totalizou 184 milhões de toneladas, apesar da queda de 12,2% em relação a 2015 quando alcançou 209,7 milhões de toneladas.

De acordo com o terceiro Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado em dezembro e divulgado ontem (10.1.17), o maior destaque é a previsão de crescimento de 73% para o Nordeste, bem acima do desempenho esperado para as demais regiões do país: 20,5% no Centro-Oeste (75,1 milhões de toneladas em 2016); 13,4% no Norte (6,7 milhões); 11,1% no Sudeste (19,6 milhões) e 5,8% no Sul (73 milhões de toneladas).

Leia
 
SECA E CRISE ECONÔMICA TRAVAM O CRESCIMENTO DO NORDESTE

Brasília (Agência Prodetec) - De acordo com o Boletim Regional do Banco Central relativo ao trimestre encerrado em agosto a economia do Nordeste continua degringolando, consequência da crise nacional e de cinco anos seguidos de seca nos nove estados da região. O desempenho segue inferior à média observada no país como um todo, como constatado no estudo divulgado em Florianópolis e na previsão do IBCR-NE, anunciada em Brasília logo em seguida.

Segundo os técnicos do Bacen, os indicadores de demanda da economia nordestina mostraram continuidade do comportamento desfavorável do comércio e do setor de serviços, impactados pelo ambiente de aumento do desemprego, crédito mais restrito e queda na renda real.

No âmbito da oferta, destacou-se o desempenho positivo do setor industrial, que apresentou sinais de estabilização e possível retomada de crescimento, com potenciais desdobramentos favoráveis sobre as demais atividades.

Leia
 
PREÇO DOS IMÓVEIS NO NORDESTE FICOU ABAIXO DA INFLAÇÃO ANUAL

São Paulo (Agência Prodetec) – De acordo com a FIPE, em 2016, o preço de apartamento no Nordeste teve queda real significativa. No acumulado do ano, a variação nominal alcançou 0,79% no Recife, 0,84% em Fortaleza e 2,47% em Salvador para uma inflação (IPCA-IBGE) da ordem de 6,40% estimada pelo mercado.

O comportamento dos preços nas três capitais nordestinas ficou acima da variação média (0,57%) obtida para o conjunto das 20 cidades que integram a pesquisa e compõem o índice FIPEZap, divulgado mensalmente.

O quadro abaixo mostra que em relação a novembro o mercado registrou uma ligeira recuperação no mês de dezembro, somente em Fortaleza, acompanhando a tendência nacional.

Leia
 
INDÚSTRIA DO NORDESTE AINDA LONGE DA REAÇÃO

Rio de Janeiro (Agência Prodetec) – A última pesquisa do IBGE sobre o setor industrial mostra que o setor continua longe de se recuperar da crise que atormenta a economia brasileira. O desempenho da indústria do Nordeste em novembro não confirmou as expectativas da equipe econômica quanto a uma reação deste segmento com as festas de final de ano.

A região liderou a queda com -5,2% em relação ao mês de outubro, com destaque para os estados de Pernambuco (-4,9%), Bahia (-2,1%) e Ceará (-1,9%).

Segundo o IBGE, no caso do Nordeste houve aumento no resultado negativo em relação a outubro em 1,2%. No caso de Pernambuco, ocorreu perda do ganho de 1,7% acumulado nos meses de setembro e outubro.

Leia
 
CONAB OTIMISTA COM NOVA SAFRA DE GRÃOS DO NORDESTE

Brasília (Agência Prodetec) - O segundo levantamento de safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima que a produção de grãos do Nordeste para o ano agrícola 2016/17 pode variar de 15,6 milhões a 16,3 milhões de toneladas.

Em âmbito nacional, a safra ficaria entre 210,9 e 215,1 milhões de toneladas, o que seria a maior safra da história.

Caso se confirmem as expectativas dos técnicos da Conab, o crescimento da produção do Nordeste seria da ordem de 65% sobre a safra anterior contra até 15,6% no país como um todo.

Leia
 
CRÉDITO NO NORDESTE DECRESCE ENQUANTO INADIMPLÊNCIA AUMENTA

Brasília (Agência Prodetec) – As operações de crédito no Nordeste registraram queda de 0,3% em outubro, totalizando R$ 396.064 milhões. No acumulado do ano, o saldo baixou 1,86% ante 0,15% na comparação com outubro de 2015.

Em âmbito nacional, as operações de crédito do sistema financeiro alcançaram R$3.095 bilhões, com decréscimo de 0,5% no mês e de 2% em 12 meses.

O desempenho do Nordeste foi o terceiro pior entre as grandes regiões brasileiras, após Sudeste (saldo de R$1.660 bilhões, com retração de 0,7% sobre o mês anterior e Sul (R$ 544 bilhões, -0,4%). No Centro-Oeste, o saldo somou R$ 324 bilhões (-0,2% n) e no Norte, R$ 116 bilhões (-0,4%).

Leia
 
AGRICULTURA NORDESTE. CONAB PREVÊ AUMENTO RECORDE PARA SOJA DO PIAUÍ

Brasília (Agência Prodetec) – De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção de soja no estado do Piauí, no próximo ano, deve apresentar o maior crescimento do Brasil, com variação entre 201,5% e 213,6%, o que denota uma grande recuperação relativamente à safra de 2016.

Mesmo com todo esse desempenho, o rendimento médio da cultura no Piauí deve se situar entre 1.143 kg e 2.886 kg por hectare, bem abaixo dos índices aguardados para o país como um todo: de 2.870 a 3.045 kg por hectare.

Significa dizer que a grande expansão esperada na próxima safra do grão está mais associada à ampliação da área plantada do que a ganhos de produtividade.

Leia
 
FALTA DE CHUVAS ACELERA NÚMERO DE FOCOS DE QUEIMADAS NO NORDESTE

São Paulo (Agência Prodetec) - Os técnicos encarregados da Previsão Climática Sazonal do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) foram pessimistas ao divulgarem na manhã de ontem (26) o último relatório: a situação é alarmante, sobretudo para o Nordeste. A tendência é de chuvas abaixo da média histórica durante o trimestre dezembro-fevereiro.

De acordo com a pesquisadora Renata Tedeschi, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/Inpe), a previsão decorre, em parte, pelo fenômeno La Niña que "não está bem configurado ainda. A projeção é de La Niña de curta duração e fraca intensidade. Se fosse de alta intensidade as chuvas aumentariam no Nordeste. Então, o que comanda o clima no Nordeste é o Atlântico Norte, que está aquecido", explica ela.

Conforme o relatório, para o norte da Região Nordeste, as condições da temperatura das águas superficiais do Atlântico Norte, atuais e previstas, contribuíram para que a previsão indicasse a categoria abaixo da faixa normal climatológica como mais provável (40%) contra 25% e 35% para as faixas acima e dentro do normal, respectivamente.

Leia
 
NORDESTE. EXPECTATIVA PARA O MILHO EM 2017 É DE UMA SAFRA 53% MAIOR

Brasília (Agência Prodetec) – O primeiro levantamento da Conab sobre a próxima safra de grãos mostra um panorama de otimismo entre os produtores de milho do Nordeste. A expectativa é de uma produção de 5,2 milhões a 5,5 milhões de toneladas, em 2017.

Em relação à safra 2015/2016, quando somou 5,2 milhões de toneladas, a expansão pode atingir até 53%. Segundo o levantamento da Conab, o milho apresenta estabilidade nas áreas cultivadas na comparação com a safra anterior, devendo ocupar de 2,3 milhões a 2,4 milhões de hectares.

Conforme os técnicos da Conab, no Maranhão e em outros estados nordestinos, como o período chuvoso se consolida no final do ano, os intervalos de variações ainda são imprecisos, mas há uma forte crença no incremento de área.

Leia
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 2 de 36

A agência Prodetec é uma ferramenta voltada para divulgar artigos, estudos e pesquisas
sobre assuntos relacionados com o Nordeste

Imagine Comunicação Digital

Todos os direitos reservados. Reprodução do material permitida mediante citação da fonte.