Anuncie Aqui

Conjuntura

NORDESTE SE MOBILIZA E GOVERNO RECUA NO CASO DO AUMENTO DE JUROS DO FNE

Brasília (Agência Prodetec) - A mobilização política e empresarial em todos os estados do Nordeste mostrou que o Conselho Monetário Nacional pode muito, mas não pode tudo. Teve de voltar atrás no caso da elevação dos encargos financeiros para a contratação de operações no âmbito do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE).

A decisão nesse sentido, divulgada hoje (15) pelo Diário Oficial da União, foi tomada na reunião de sexta-feira (11) do Conselho Monetário Nacional. Ela revoga a resolução 4.453 de 17 de dezembro de 2015 que havia alterado de forma substancial os juros incidentes sobre os empréstimos realizados com recursos do FNE.

A nova sistemática foi adotada mais em virtude da pressão de parlamentares e de lideranças empresariais das regiões mais pobres (Norte, Nordeste e Centro-Oeste) do que propriamente pela benevolência das autoridades de Brasília.

Leia
 
NORDESTE. SECA NA BAHIA PODE FRUSTRAR PREVISÃO DAS SAFRAS DE SOJA E MILHO

Salvador (Agência Prodetec) - As perspectivas para as safras de soja e milho no Nordeste, este ano, dificilmente vão se confirmar devido às irregularidades das chuvas nos principais estados produtores. No caso da soja, a previsão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) era de uma queda em volta de 2,6% na safra deste ano em comparação com a safra anterior, algo como 7.870,2 mil toneladas computadas as produções esperadas na Bahia, no Maranhão e no Piauí.

Acontece que nos últimos dias, a situação do clima degringolou na parte oeste da Bahia e a estimativa de aumento de 5,9% na safra de soja dificilmente vai se concretizar. O estado, sozinho, responde por quase 60% da soja regional e 40% do milho.

Leia
 
CONAB INDICA REDUÇÃO NA SAFRA DE GRÃOS DO NORDESTE, EM 2016

Brasília (Agência Prodetec) – De acordo com a última estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção de grãos do Nordeste em 2016 deve alcançar 16,1 milhões de toneladas, menos de 8% da produção nacional de 210,3 milhões de toneladas. O volume é 2,8% menor que o obtido na safra anterior, consequência da queda tanto na área colhida quanto na produtividade provocada pela seca que assola a região desde 2012.

O levantamento da Conab indica diminuição de -1,5% na área ocupada pelas lavouras de grãos, no Nordeste, e deve chegar aos 8 milhões de hectares.

A Bahia continua como o principal polo produtor de grãos da região, com quase 50% do total previsto, seguida pelo Maranhão e Piauí. A safra baiana é calculada em 7.994 mil toneladas contra 3.567 mil toneladas do Maranhão e 3.016 mil do Piauí.

Leia
 
ECONOMIA DO NORDESTE ACOMPANHA A DO PAÍS E APROFUNDA RECESSÃO

Fortaleza (Agência Prodetec) – o Banco Central apresentou hoje nesta capital, sua análise para a economia do Nordeste no trimestre set-nov./2015. O quadro geral é de aprofundamento da recessão expressa em muitas variáveis: quedas acentuadas nas vendas do comércio e na produção industrial, perdas líquidas de postos de trabalho.

O indicador do Banco (IBCR-NE) que mede o comportamento da economia assinalou recuo de 1,6% no Nordeste em relação ao trimestre findo em agosto, acima do verificado nas regiões mais ricas: -1,3% no Centro-Oeste e Sudeste; e 0,9% no Sul. Em âmbito nacional, a retração ficou em 1,8%.

Considerado o período de 12 meses, o índice IBCR-NE diminuiu 2,6% em novembro contra -0,6% em agosto, refletindo os efeitos do ajuste macroeconômico em curso no país e a crise política que impactaram empresários e consumidores.

Leia
 
NORDESTE. VENDAS DO COMÉRCIO EM DEZEMBRO CAEM EM TODOS ESTADOS

Rio de Janeiro (Agência Prodetec) - De acordo com dados divulgados hoje pelo IBGE, as vendas varejistas de dezembro de 2015 no Nordeste recuaram em todos os estados em relação ao mês anterior. Os piores desempenhos foram os registrados por Bahia (-7,2%), Sergipe (-6,4%), Maranhão (-5,9%) e Rio Grande do Norte (-5,3%), taxas bem acima da média nacional de -2,7%.

A análise da série sem ajuste sazonal indica em dezembro queda de 7,1% no total das vendas em âmbito nacional na comparação com dezembro de 2014. Considerando o quarto trimestre as vendas diminuíram 6,9%, totalizando -4,3% no fechamento de 2015. Em ambos os confrontos as variações são as mais acentuadas da série histórica, iniciada em 2001.

O comércio varejista ampliado, que inclui o varejo e as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, a variação ficou em -0,9% sobre novembro. Na comparação com 2014, o volume de vendas caiu 11% em relação a dezembro e 8,6% no acumulado do ano.

Leia
 
NORDESTE LIDERA EXPORTAÇÃO DE CALÇADOS EM 2015, MESMO COM QUEDA NAS RECEITAS

Fortaleza (Agência Prodetec) - Mesmo com os problemas conjunturais observados no período, o Nordeste manteve-se como o principal exportador de calçados do Brasil, em 2015, com vendas da ordem de US$ 406,6 milhões dos principais estados produtores da região (Ceará, Paraíba, Bahia, Sergipe e Pernambuco).

Em relação ao ano passado, quando alcançaram US$ 479,8 milhões, as exportações nordestinas de calçados decresceram 15,2%, bem acima da média nacional de 10%. Nenhum dos cinco grandes exportadores do Nordeste registrou desempenho positivo nas vendas.

De acordo com os dados levantados pela Abicalçados, o Ceará foi o segundo maior exportador de 2015, depois do Rio Grande do Sul (US$ 370 milhões). Os embarques do estado totalizaram 50,66 milhões de pares e US$ 263 milhões, com queda de 15,3% ante o ano anterior. A Paraíba ficou em quarto lugar no país e em segundo no Nordeste, com vendas de US$ 88,4 milhões, 11,5% abaixo do montante alcançado em 2014. O volume embarcado ficou em 26,4 milhões de pares.

Leia
 
NORDESTE AGRICULTURA. IBGE PREVÊ ALTA DE 120% PARA SAFRA DE CASTANHA EM 2016

Rio de Janeiro (Agência Prodetec) – O Nordeste poderá mais do que dobrar sua produção de castanha de caju, este ano, na comparação com a de 2015. O último Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), divulgado pelo IBGE no começo de fevereiro, prevê uma safra de 226,7 mil toneladas, aumento de 120,7% sobre a de 2015 (US$ 102,7 mil toneladas).

O crescimento decorre muito mais da elevação aguardada na produtividade (104%) do que da expansão da área colhida, estimada em 630 mil hectares, 8,2% maior que a de 2015 quando totalizou 582,3 mil hectares. O rendimento deve passar de 176 kg por hectare para 360 kg.

Vale salientar que a concretização desses números vai depender muito de condições edafoclimáticas favoráveis na região, sobretudo nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte e Piauí onde a cajucultura está concentrada. Por outro lado, este é o primeiro levantamento de uma série a ser realizado pelo IBGE para definir a safra, a qual, normalmente, é fechada somente no mês de janeiro.

Leia
 
EMPREGO E RENDA. TAXA DE DESOCUPAÇÃO PIORA NO NORDESTE EM 2015

Rio de Janeiro (Agência Prodetec) - De acordo com a Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desocupação encerrou dezembro em 6,9%, a maior já registrada desde 2007).

No acumulado do ano, a média de 6,8% sofreu alteração de dois pontos percentuais em relação a 2014 (4,8%), interrompendo uma trajetória de queda do desemprego observada desde 2010.

Esse panorama, no entanto, ainda é bem mais satisfatório que aquele registrado no inicio da série, em 2003, quando a taxa atingiu 12,3%, informam os técnicos do IBGE.

Leia
 
NORDESTE. FORTALEZA REGISTROU MAIOR VARIAÇÃO NO PREÇO DE IMÓVEL EM 2015

São Paulo (Agência Prodetec) - No ano em que a inflação chegou perto de 11%, o preço dos imóveis nas três principais cidades do Nordeste apresentou queda em termos reais. A variação ficou em 0,04% no Recife, 2,40% em Salvador e 5,99% em Fortaleza, abaixo do crescimento médio registrado nas 20 cidades acompanhadas pelo índice FipeZap.

No acumulado de 2015, o preço médio do metro quadrado para apartamento com venda anunciada variou 1,32% para uma inflação estimada em 10,72% no período, o que representa queda real de 8,4%.

Conforme a pesquisa, o valor médio anunciado do metro quadrado fechou dezembro em R$ 6.003,00 no Recife contra R$ R$ 5.818.00 em Fortaleza e R$ R$ 4.667,00 em Salvador, enquanto a média nacional situou-se em R$ 7.613,00.

Leia
 
EMPREGO FORMAL. NORDESTE FECHA 229 MIL POSTOS EM 2015

Brasília (Agência Prodetec) – A apresentação do balanço de empregos formais de 2015 mostra que o Nordeste perdeu 254,4 mil postos de trabalho, queda de 3,74% na comparação com o ano passado. Conforme os dados do Caged divulgados pelo Ministério do Trabalho, o quantitativo apurado no Nordeste foi o segundo maior entre as grandes regiões brasileiras.

Em todas as regiões, houve redução no nível de emprego formal, com destaque para o Sudeste, com 891,4 mil postos, 4,09% abaixo do total observado em 2014. Na região Sul as perdas somaram 229.320 postos (-3,08%), ante 100.212 postos no Norte (-5,15%) e 67.008 postos no Centro-Oeste (-2,08%).

Em âmbito estadual, todas as unidades da Federação apresentaram recuo no estoque de empregos formais, em 2015, com destaques para São Paulo (-466,7 mil postos a menos), Minas Gerais (-196,1 mil) Rio de Janeiro (-183,7 mil) Rio Grande do Sul (-95,2 mil) e Pernambuco (-89,5 mil postos a menos).

Leia
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 6 de 36

A agência Prodetec é uma ferramenta voltada para divulgar artigos, estudos e pesquisas
sobre assuntos relacionados com o Nordeste

Imagine Comunicação Digital

Todos os direitos reservados. Reprodução do material permitida mediante citação da fonte.