Anuncie Aqui

Nordeste supera sul na geração de emprego em 2011

De acordo com a revista BNB Conjuntura Econômica, o Nordeste ganhou participação relativa no número de empregos gerados no Brasil, passando de 12,3%, em 2004, para 16,9% no final do ano passado, o que coloca a região ligeiramente à frente do Sul. Em 2011, o total de empregos criados no país foi o segundo maior da série histórica do Ministério do Trabalho, com 1.944 mil vagas, abaixo apenas do observado em 2010 (2,4 milhões de postos).

A discriminação geográfica e setorial do saldo de empregos acumulado no ano indica que, em âmbito nacional, os serviços foram responsáveis por quase metade (47,6%) do total, seguido pelo comércio (23,2%) e a construção civil (11,5%). Entre as regiões, o Sudeste responde por 51,4% do saldo nacional. O Nordeste, cuja participação atingiu 13,9%, em 2010, avançou três pontos percentuais em 2011. Setorialmente, a região repete a trajetória nacional: serviços (45,2%), comércio (24,3%) e construção civil (16,3%) detiveram a maior participação nos empregos criados. O destaque é a construção civil que apresentou expressivo dinamismo, gerando um de cada quatro empregos do setor em todo o país.

Na região, a exemplo do país como um todo, a geração de empregos não ultrapassou os níveis de 2011, situando-se em volta de 330 mil postos ante 494 mil ano passado. Entre os estados nordestinos, considerado o agregado anual, o saldo foi positivo para todos, com destaque para Pernambuco (27,2% do saldo regional), que superou a Bahia (23,1%) e o Ceará (17,1%).

Liderança: serviços e comércio

Na comparação do acumulado dos anos 2010 e 2011, todos os estados ostentam patamares inferiores em 2011, tendo alguns deles enfrentado dificuldades setoriais. É o caso da indústria de transformação no Rio Grande do Norte, onde foram abolidos 2.578 empregos em decorrência do panorama na indústria têxtil local. Sofrendo uma grave crise, a atividade extinguiu mais de 4,5 mil postos de trabalho ao longo do ano, em sua maioria concentrada em atividades do chão de fábrica.

Conforme o levantamento de BNB Conjuntura, os setores com maior desempenho na geração de empregos formais no Nordeste, em 2011, foram o de serviços, com 149.051 postos; comércio, com 80.183, e construção civil, com 53.824 postos de trabalho. Embora tenha apresentado saldo positivo em 2011, a indústria de transformação (23.929 novos postos) perdeu participação no total, reflexo de um desempenho abaixo do esperado ao longo do ano.

Para saber mais acesse a parte de publicações do Etene no portal do BNB na Internet (www.bnb.gov.br).

3-tabelas

Voltar

 

A agência Prodetec é uma ferramenta voltada para divulgar artigos, estudos e pesquisas
sobre assuntos relacionados com o Nordeste

Imagine Comunicação Digital

Todos os direitos reservados. Reprodução do material permitida mediante citação da fonte.