Anuncie Aqui

20 CIDADES DO NORDESTE ENTRE AS 100 MAIORES E MELHORES DO BRASIL
prodetec-jaboatao-dos-guararapes
Jaboatão dos Guararapes (PE) ficou bem colocada na pesquisa.

 

AGÊNCIA PRODETEC Ω [ 05 NOV. 2014]

Brasília – O primeiro índice das melhores e maiores cidades brasileiras, elaborado pela consultoria Delta Economics & Finance para a revista AméricaEconomia, mostra quão heterogêneas são as condições de vida entre elas. No ranking de 100 cidades analisadas aparecem apenas vinte localizadas no Nordeste, sob a liderança de Natal, 13ª posição em âmbito nacional.

O BCI100 abrange um conjunto de 77 variáveis em dez diferentes dimensões: geral, segurança, domicílio, saúde, educação, governança corporativa, econômica, bem estar, financeira e digital. Seu objetivo é consolidar diversos atributos da cidade em um índice que permita mensurar as diversas dimensões do processo de desenvolvimento socioeconômico da cidade e de seus habitantes.

A análise do estudo mostra como campeã a cidade de Santos, o maior complexo portuário da América Latina, com população em torno de 433 mil habitantes em 2014. Em segundo e terceiro lugares ficaram Belo Horizonte e Jundiaí (SP).

Nordeste

Além de Natal, o ranking BCI100 da AméricaEconomia incluiu, ainda, as cidades de Salvador (BA), Jaboatão dos Guararapes (PE), Aracaju (SE), Recife (PE), Fortaleza (CE), Mossoró (RN), Campina Grande (PB), Paulista (PE), Petrolina (PE), João Pessoa (PB), São Luis (MA), Teresina (PI), Juazeiro do Norte (CE), Caruaru (PE), Olinda (PE), Feira de Santana (BA), Caucaia (CE), Maceió (AL) e Vitória da Conquista (BA).

Vale salientar que a pernambucana Jaboatão dos Guararapes, 37º no ranking nacional, colocou-se em primeiro lugar entre as melhores cidades do país na dimensão 'governança'. Natal, por sua vez, liderou no quesito "finanças".

Na outra ponta, entre os piores, aparecem Vitória da Conquista na dimensão 'bem estar'; Caruaru na dimensão 'educação' e Juazeiro do Norte na dimensão 'digital'.

A nota de Jaboatão para 'governança', 23,72 pontos, superou a de Belo Horizonte, que registrou 22,65 pontos nessa área, embora não tenha obtido o mesmo desempenho em outros aspectos, ficando em 37º lugar no ranking. O quesito 'governança' leva em conta 27 variáveis (existência de plano diretor, lei específica de prevenção de enchentes ou inundações, política para as mulheres etc.).

MELHORES E MAIORES CIDADES DO PAÍS. MAIOR E MENOR PONTUAÇÃO POR DIMENSÃO
 

Dimensão

Melhores

Pontos 

Piores

Pontos

Geral

Florianópolis

2

Belford Roxo

0,04

Governança

Jaboatão dos Guararapes

23,72

Duque de Caxias

0

Bem-estar

Blumenau

4,73

Vitória da Conquista

1,05

Econômica

Blumenau

8,36

Santarém

1,06

Finanças

Natal

6,76

Brasília

0

Domicílio

Vitória

4,99

Santarém

0,7

Saúde

Vitória

7,04

Duque de Caxias

1,42

Educação

Santos

7,51

Caruaru

2,12

Segurança

Franca

1,98

Ananindeua

0

Digital

Jundiaí

2

Juazeiro do Norte

0

Fonte: Delta Economics & Finance

O Desafio da Desigualdade

Conforme o estudo, a questão da desigualdade de renda permanece como um grande desafio no país em que pese a melhoria ocorrida nos principais indicadores nos últimos anos.

Usando um dos indicadores de medição de desigualdade, o índice de Gini – que varia de zero (distribuição totalmente igualitária) a um (concentração extrema) o documento indica que numa lista de dez cidades brasileiras com os piores índices de concentração de renda, sete são do Nordeste: Natal, com índice 0,61; João Pessoa (0,62), Petrolina (0,62), Aracaju (0,62), Maceió (0,63), Salvador (0,63) e Recife (0,68). A lista se completa com Rio de Janeiro (0,62), São Paulo (0,62) e Brasília (0,63).

No ranking das 100 maiores e melhores, nenhuma cidade nordestina aparece entre os melhores índices.

Para a equipe responsável pelo documento, apesar dos ganhos de qualidade de vida da população brasileira, em especial a residente nos centros urbanos, "ainda são observados desafios imensos na oferta de infraestrutura física e social, em especial para a população mais carente, não existindo uma solução única para o problema do desenvolvimento das cidades". Mas, segundo os técnicos, cinco recomendações se apresentam de grande valia para os gestores preocupados com a melhoria do bem estar de sua comunidade.

a) elaborar um plano estratégico de desenvolvimento;
b) estabelecer uma estrutura de governança, accountability e controle;
c) monitorar a evolução da implementação do plano estratégico;
d) estabelecer alianças estratégias, como as parcerias público-privadas (PPPs);
e) elaborar e implementar uma política de incentivos para a atração de pessoas e projetos.

RANKING DAS MAIORES E CIDADES DO NORDESTE. DIMENSÕES SELECIONADAS.

Cidade/Ordem*

Governança

Bem estar

Econômica

Finanças

Domicilio

Saúde

Educação

Natal (13)

17,64

3,16

4,93

6,76

4,77

5,90

5,09

Salvador (27)

19,84

3,29

5,22

2,03

4,55

4,82

4,16

Jaboatão (37)

23,72

2,86

3,59

1,17

3,64

4,11

3,95

Aracaju (44)

16,52

2,75

4,86

1,75

4,75

5,27

5,09

Recife (45)

15,65

2,78

4,17

2,35

4,46

5,66

5,01

Fortaleza (46)

16,75

2,73

4,60

2,16

4,66

4,63

4,99

Mossoró (50)

16,61

2,13

4,44

1,39

4,10

5,54

5,46

C. Grande (57)

17,38

2,06

3,59

1,28

4,55

5,39

4,59

Paulista (62)

17,71

2,98

4,15

1,07

3,94

4,13

5,09

Petrolina (65)

17,65

1,46

3,38

1,57

4,03

4,10

3,73

João Pessoa (67)

13,40

2,92

4,56

0,97

4,82

5,58

5,14

São Luís (70)

12,54

2,22

4,30

2,17

2,96

5,01

5,97

Teresina (73)

11,52

2,57

4,21

1,31

4,19

5,40

6,31

Juaz.do Norte (75)

17,00

1,71

2,88

1,23

4,08

4,99

4,67

Caruaru (85)

14,55

1,56

3,90

1,49

3,89

5,25

2,12

Olinda (88)

10,65

3,08

3,92

1,29

4,29

4,32

4,27

F. de Santana (90)

9,79

2,53

4,25

1,77

4,04

4,93

3,72

Caucaia (91)

14,50

1,87

3,16

1,45

2,77

3,75

3,96

Maceió (92)

12,98

1,42

3,80

1,15

3,74

4,63

3,68

Vit. Conquista (95)

12,50

1,05

3,93

0,99

3,74

4,90

2,77

Fonte: Delta Economics & Finance. Elaboração Agência Prodetec.
(*) Ordem da cidade no ranking nacional.

Considerando os 5.564 municípios brasileiros em 2013, cerca de 85% já moravam em centros urbanos, taxa bem acima da media mundial. Em 2020, segundo o IBGE a taxa de urbanização alcançará 90%, com todas as repercussões que isso traz.

Mais em :http://americaeconomiabrasil.com.br/rankings/maiores-e-melhores-cidades-brasil-2014/introducao/

Voltar

 

A agência Prodetec é uma ferramenta voltada para divulgar artigos, estudos e pesquisas
sobre assuntos relacionados com o Nordeste

Imagine Comunicação Digital

Todos os direitos reservados. Reprodução do material permitida mediante citação da fonte.