Anuncie Aqui

NORDESTE. POTENCIAL DE CONSUMO DO INTERIOR SUPERA O DAS CAPITAIS

Brasília (Agência Prodetec) – Os municípios fora das nove capitais do Nordeste responderão por dois terços do potencial de consumo da região este ano, estimado em R$ 708,7 bilhões. O mercado abrangido pelas capitais deve totalizar R$ 228 bilhões, com destaque para Salvador, cuja previsão de consumo é de R$ 58,3 bilhões. O restante refere-se à participação dos demais municípios.

De acordo com o estudo sobre o tema, realizado pela IPC Marketing Editora, de São Paulo, o consumo nordestino é bastante centralizado: 57 dos maiores mercados da região respondem por mais da metade do potencial de consumo local.

Outro sinal dessa concentração está na reduzida quantidade de centros com potencial de consumo acima de R$ 1 bilhão: apenas 85 no universo de quase 1.800 municípios existentes no Nordeste.

Seguindo uma tendência nacional já apurada por consultorias como a Boston Consulting Group, embora o consumo tenda a desacelerar no geral, consequência de instabilidades na economia do país, as cidades do interior do Brasil apresentam crescimento na demanda.

100 maiores

No Nordeste, os 100 maiores mercados de consumo representam R$ 420.531 milhões. O maior número de municípios desse ranking está na Bahia (30), o que se explica pelo tamanho da economia baiana. Em seguida, aparecem Pernambuco, com 21 municípios; Ceará (13), Maranhão (11), Paraíba (7), Rio Grande do Norte (6), Alagoas (3) e Piauí (3).

Entre as capitais – maiores polos de consumo do Nordeste -, além de Salvador, destacam-se Fortaleza (R$ 42,6 bilhões), Recife (R$ 30,4 bilhões), São Luís (R$ 18,8 bilhões) e Natal (R$ 17,6 bilhões) como mostra a tabela a seguir.

 

Município

Ord.Nac.

Potencial consumo 2015 – R$ Milhões

Potencial consumo 2014 – R$ Milhões

Ord.Nac.

Salvador

5

 58.290

52.659

5

Fortaleza

8

42.655

42.021

8

Recife

11

30.477

29.554

10

São Luís

16

18.868

17.380

17

Natal

18

17.678

14.599

23

João Pessoa

24

16.641

13.352

29

Maceió

26

16.448

16.880

19

Teresina

35

13.694

12.838

31

Aracaju

38

13.192

13.334

28

Fonte: IPC Maps. Elaboração Agência Prodetec.

 

Distribuição espacial

No Maranhão, após a capital, os maiores polos de consumo são as cidades de Imperatriz (R$ 3,5 bilhões), no sul do estado; São José de Ribamar (R$ 2,1 bilhões), Timon (R$ 1,9 bilhão) e Caxias (R$ 1,6 bilhão), na parte leste; e Açailândia (R$ 1,3 bilhão).

No Piauí, afora Teresina (R$ bilhões), apenas Parnaíba (R$ 1,9 bilhão) e Picos (R$ 1 bilhão) integram o ranking dos 100 maiores centros consumidores do Nordeste.

Entre os municípios cearenses, depois de Fortaleza, destacam-se, pelo volume, a vizinha Caucaia (R$ 4,5 bilhões), Juazeiro do Norte (R$ 3,6 bilhões), Maracanaú (R$ 3 bilhões), Sobral (2,6 bilhões), Crato (R$ 1,7 bilhão), Iguatu (R$ 1,3 bilhão), Maranguape (R$1,3 bilhão), Itapipoca (R$ 1 bilhão) e Aquiraz (R$ 0,9 bilhão).

Em Pernambuco, a cidade de Jaboatão dos Guararapes se sobressai como o maior polo de consumo do Nordeste fora das capitais. A estimativa do mercado local gira em torno de R$ 10,1 bilhões, seguindo-se Olinda (R$ 6,3 bilhões), Caruaru (R$ 5,6 bilhões), Paulista (R$ 4,6 bilhões), Petrolina (R$ 4,3 bilhões), Cabo de Santo Agostinho (R$ 2,8 bilhões), Camaragibe (R$ 2,3 bilhões), Vitória de Santo Antão (R$ 1,8 bilhão) e Igarassu (R$ 1,5 bilhão).

No estado da Bahia, desconsiderada a capital, o grande destaque é a cidade de Feira de Santana, com potencial de consumo estimado em R$ 9,2 bilhões este ano. Também são relevantes as participações de Vitória da Conquista (R$ 4,8 bilhões), Camaçari (R$ 4,2 bilhões), Lauro de Freitas (R$ 3.7 bilhões), Itabuna (R$ 3,4 bilhões), Juazeiro (R$ 2,8 bilhões), Ilhéus (R$ 2,7 bilhões), Teixeira de Freitas (R$ 2,6 bilhões) e Jequié (2,3 bilhões).

No Rio Grande do Norte, ao lado de Natal, compõem o ranking dos 100 maiores mercados consumidores do Nordeste, os municípios de Parnamirim (R$ 5,2 bilhões), Mossoró (R$ 3,9 bilhões), São Gonçalo do Amarante (R$ 1,1 bilhão), Caicó (R$ 0,9 bilhão) e Macaíba (R$ 0,8 bilhão).

Além de João Pessoa, os maiores polos de consumo da Paraíba são os municípios de Campina Grande (R$ 6,2 bilhões), Santa Rita (R$ 1,7 bilhão), Patos (R$ 1,5 bilhão), Bayeux (R$ 1,2 bilhão), Cabedelo (R$ 1,1 bilhão) e Sousa (R$ 0,9 bilhão).

O estado de Alagoas apresenta apenas três municípios no ranking dos 100 maiores polos consumidores do Nordeste: Arapiraca (R$ 2,7 bilhões), Rio Largo (R$ 0,9 bilhão) e Maceió.

Em Sergipe, seis cidades participam do ranking: Aracaju, Nossa Senhora do Socorro (R$ 2,4 bilhões), Itabaiana (R$ 1,2 bilhão), Lagarto (R$ 1,1 bilhão), São Cristóvão (R$ 1,1 bilhão) e Estância (R$ 0,8 bilhão).

Veja a relação dos 100 maiores centros consumidores do Nordeste no arquivo abaixo (em PDF).

100 maiores centros consumidores do Nordeste

Voltar

 

A agência Prodetec é uma ferramenta voltada para divulgar artigos, estudos e pesquisas
sobre assuntos relacionados com o Nordeste

Imagine Comunicação Digital

Todos os direitos reservados. Reprodução do material permitida mediante citação da fonte.