Anuncie Aqui

NORDESTE: ATIVIDADE ECONÔMICA CAI NA BAHIA, CEARÁ E PERNAMBUCO

Brasília (Agência Prodetec) - Exceto o Sul, que registrou uma variação positiva centesimal, todas as demais regiões brasileiras experimentaram queda na atividade econômica em março, alinhando-se com o panorama nacional, cujo recuo foi de 1,07%.

A aferição feita pelo Banco Central (Bacen) mostra que, relativamente ao mês anterior, o recuo da economia nas regiões do país, em março, foi de 0,47% no Centro-Oeste, 1,52% no Nordeste, 0,69% no Sudeste e 1,06% no Norte. No Sul, houve um aumento de 0,06%.

O Índice de Atividade Econômica do Bacen para o Nordeste (IBC-NE) caiu 1,52% na comparação março com o mês anterior. Tido pelos economistas como uma prévia do comportamento do Produto Interno Bruto, o Índice ainda se mantém positivo quando considerada a variação com o mesmo mês de 2014.

Nessa base comparativa, as demais regiões brasileiras já apresentam declínio da atividade econômica, destacando-se o Norte, com -3,19%, seguido pelo Centro-Oeste (-2,10%), Sudeste (-0,65%) e Sul (-0,33%).

ÍNDICE DE ATIVIDADE ECONÔMICA REGIONAL – MARÇO. 2013 A MARÇO.2015 COM AJUSTE SAZONAL.

DATA

CENTRO-OESTE

NORDESTE
Índice

SUL
Índice

SUDESTE
Índice

NORTE
 Índice

Mar/2013

145,94

151,95

142,65

144,61

157,20

Jun/2013

146,72

152,94

144,11

146,44

161,02

Set/2013

147,08

152,90

144,23

145,87

162,54

Dez/2013

147,52

153,79

142,55

144,57

164,74

Mar/2014

152,05

157,04

145,17

144,67

166,92

Jun/2014

147,61

157,18

141,95

143,62

159,86

Set/2014

148,83

158,72

146,65

144,54

162,57

Dez/2014

148,92

157,50

145,28

143,87

163,48

Mar/2015

148,85

158,34

144,69

143,72

161,59

       Fonte: Banco Central. 

 

Recuo nos estados

Dos estados nordestinos, os técnicos do Banco Central só apuram o índice de atividade econômica na Bahia, em Pernambuco e no Ceará, que representam os três maiores PIBs da região.

Desse trio, a situação pernambucana é praticamente de estagnação desde o início do segundo semestre do ano passado, embora o Índice relativo a março/15 não esteja ainda à disposição.

A economia baiana, por seu turno, continua ladeira abaixo desde o final de julho de 2014 quando o IBC-Bahia cravou 158,07 pontos, quase seis pontos acima daquele verificado em março último (152,45). Em relação ao mês anterior, a queda foi de 2,55%. No comparativo com março de 2014, o avanço alcança 0,46%.

No caso cearense, o Índice mensal chegou a 150,16 pontos, recuo de 3,37% sobre o do mês anterior (155,40), mas continua positivo na comparação com março.2014 (1,69%)

ÍNDICE DE ATIVIDADE ECONÔMICA – PERNAMBUCO, CEARÁ E BAHIA –    JAN.2013/MAR.205 COM AJUSTE SAZONAL


Mês/ano


Pernambuco Índice


Ceará Índice


Bahia Índice

jan/2013

151,15

143,77

147,71

fev/2013

150,86

142,99

147,53

mar/2013

150,83

142,27

147,32

abr/2013

153,23

143,68

147,58

mai/2013

151,76

143,68

147,62

jun/2013

151,82

143,47

147,50

jul/2013

152,04

143,68

150,05

ago/2013

152,02

143,26

152,82

set/2013

149,72

144,23

150,92

out/2013

151,97

145,98

148,22

nov/2013

151,24

146,51

151,71

dez/2013

154,66

144,96

151,25

jan/2014

154,28

144,94

151,89

fev/2014

153,24

146,60

151,83

mar/2014

153,46

147,65

151,75

abr/2014

153,16

148,52

153,58

mai/2014

153,65

148,80

152,44

jun/2014

150,02

146,22

152,50

jul/2014

151,66

149,74

158,07

ago/2014

152,49

153,73

152,19

set/2014

152,68

152,65

153,04

out/2014

152,44

151,10

153,02

nov/2014

152,69

150,46

151,38

dez/2014

152,14

149,80

151,16

jan/2015

152,54

152,41

150,79

fev/2015

152,42

155,40

148,65

mar/2015

-

150,16

152,45

       Fonte: Banco Central.



Postada em 2 jun 2015

Voltar

 

NO NORDESTE, PREÇOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL POUCO VARIAM EM OUTUBRO

Agência Prodetec – Brasília – 01 dezembro 2017. O Índice Nacional da Construção Civil apurado pelo IBGE PI) em outubro apresentou...

PIB DO NORDESTE PERMANECE CONCENTRADO EM 4 ESTADOS

Agência Prodetec - Rio de Janeiro – 01 dezembro 2017. Dados das Contas Regionais relativas a 2015, divulgados pelo Instituto Brasileiro...

SALDO DE CRÉDITO DO NORDESTE CONTINUA A CAIR, EM OUTUBRO

Agência Prodetec – Brasília – 01 dezembro 2017. O saldo de empréstimos do sistema financeiro do Nordeste alcançou R$ 396 bilhões...

Estudos e Pesquisas

PIB DO NORDESTE CRESCE ENTRE 2002 E 2015, MAS PERMANECE DISTANTE DAS REGIÔES MAIS RICAS

Crescimento do PIB foi negativo em 2015 para todos os estados brasileiros, mas a participação do Nordeste no agregado nacional melhorou, de 13,9% para 14,2%, ainda muito longe da representatividade do Sudeste que responde por 54% do PIB do país. Agência Prodetec - Rio de Janeiro – 01 dezembro 2017. O estudo "Contas Regionais do Brasil 2002-2015" divulgado pelo IBGE mostra que...

ESTUDO MOSTRA CEARÁ E MARANHÃO COM A MELHOR SITUAÇÃO FISCAL DO PAÍS, EM 2016.

Uma análise realizada por pesquisadores cariocas indica que estados pobres como Ceará e Maranhão apresentam situação fiscal bem melhor que os chamados estados ricos, com desempenho superior em aspectos como dívida, despesa com pessoal, disponibilidade de caixa e investimentos. AGÊNCIA PRODETEC ΩΩ [ABRIL 2017] Rio de Janeiro – A situação fiscal da maioria dos estados do Nordeste é melhor que a apresentada...

Veja também

GOVERNO FEDERAL SE APROPRIA DE RECURSOS DO FNE PARA FINANCIAR BOLSAS DE ESTUDOS

A proposta para o próximo ano prevê aplicações no montante de R$ 23,9 bilhões e, além dos setores tradicionais, o...

EXPORTAÇÃO DE CAFÉ DO NORDESTE RECUOU EM 2017

Agência Prodetec - Rio de Janeiro – 01 dezembro 2017. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Comercio Exterior e Serviços...

VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA (VBP) DO NORDESTE CHEGA A R$ 42,4 BILHÕES EM 2016

Brasília (Agência Prodetec) - De acordo com Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o Valor Bruto da Produção agropecuária...

A agência Prodetec é uma ferramenta voltada para divulgar artigos, estudos e pesquisas
sobre assuntos relacionados com o Nordeste

Imagine Comunicação Digital

Todos os direitos reservados. Reprodução do material permitida mediante citação da fonte.