Anuncie Aqui

GRÃOS. IBGE e CONAB DIVERGEM QUANTO AO CRESCIMENTO DA SAFRA DO NORDESTE

Rio de Janeiro e Brasília (Agência Prodetec) – Acabam de ser divulgadas as novas estimativas para a safra de grãos deste ano. Nas contas da Conab serão 209,5 milhões de toneladas, 8,2% acima da safra 2013/14 de 193,6 milhões de toneladas. A área plantada, 58.036 mil hectares, é 1,7% maior que a passada.
Os maiores desempenhos esperados nas culturas de verão referem-se à soja (10,1 milhões de toneladas), milho e arroz.

Para o IBGE, a colheita nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas deve alcançar 210 milhões de toneladas, 8,6% a mais que a de 2014 (193,3 milhões de toneladas), com área de 56,5 milhões de hectares a ser colhida, acréscimo de 1,9% à do ano passado.

A produção de arroz (+3,6%), de milho (+6,5%) e de soja (+11,9%) representam 92,3% da estimativa total da safra e respondem por 86,3% da área a ser colhida.

Vale observar que a pesquisa do IBGE contempla 19 produtos (algodão, amendoim, arroz, aveia, batata-inglesa, cacau, café, cana de açúcar, cebola, cevada, feijão, laranja, mandioca, mamona, milho, soja, sorgo, trigo e triticale). Na sondagem da Conab, 15 produtos (algodão, amendoim, arroz, feijão, girassol, mamona, milho, aveia, canola, centeio, cevada, soja, sorgo, trigo e triticale).

Situação regional

Na comparação com a anterior, a Conab informa que a safra de grãos do Nordeste deve permanecer praticamente inalterável, totalizando 16.809 mil toneladas, com variação positiva de apenas 0,1%, consequência da queda de 1% na área plantada (8.204 mil hectares) e do pequeno avanço da produtividade (1,1%).

A pesquisa do IBGE, por sua vez, indica uma safra de 17,4 milhões de toneladas de cereais (arroz, milho, sorgo), leguminosas (amendoim e feijão) e oleaginosas (caroço de algodão, mamona, soja e girassol) para o Nordeste.

A região é a quarta maior produtora de grãos do país depois do Centro-Oeste (88,7 milhões de toneladas), Sul (78 milhões de toneladas) e Sudeste (18,8 milhões de toneladas).

O Nordeste registrou aumento de 10,2% na safra, ante 20,4% do Norte, 4,8% do Sudeste, 10,3% do Sul e de 6,9% na região Centro-Oeste.

NORDESTE: ÁREA (1.000 ha), PRODUTIVIDADE (Kg/Ha) E PRODUÇÃO (1.000 t).

ORGANISMO

AREA ANTERIOR

AREA ATUAL

VAR. %

PRODUT. ANTERIOR

PRODUT. ATUAL

VAR.%

PRODUÇÃO ANTERIOR (t)

PRODUÇAO ATUAL (t)

VAR.%

CONAB

8.287,3

8.204,0

(1,0)   

2.027  

  2.049  

 1,1

16.800,7

16.809,5

0,1

IBGE

7.701,7

7.930,8

2,9

2.044*

2.187*

6,9

15.742,3

17.350,9

10,2

Fonte: Conab e IBGE. Nota: Rendimento estimado pela Agência Prodetec.

Maiores lavouras em áreas

Conforme o IBGE, as culturas com maiores áreas no Nordeste são a soja (2.863 mil hectares), o milho (2.550 mil), o feijão (1.483 mil) e o arroz (411,3 mil hectares). Por estado, o ranking de produção é liderado pela Bahia com 8.759,8 mil toneladas; Maranhão (4.081,2 mil toneladas), Piauí (3.062,6 mil) e Sergipe (879,5 mil toneladas).

Entre os grãos de maior relevância econômica, os melhores desempenhos na safra deste ano referem-se à soja, cuja produção cresceu 11,8%. Em seguida, aparecem café (+10,8%) e algodão em caroço (+3,9%). Entre os de menor expressão destaque para a mamona (+137,9%) e o sorgo (+33,5%). A safra de arroz foi a que apresentou o pior desempenho com diminuição de 24,4% ante a safra anterior.

A área colhida e a produção estimada para os principais grãos a safra deste ano podem ser conferidas na tabela abaixo.

Produto

Área colhida (ha)

Produção estimada (t)

Algodão (em caroço)

368.166

1.338.213

Arroz

411.294

639.705

Feijão

1.483.248

673.195

Milho

2.550.457

6.589.937

Soja

2.863.701

8.372.863

Fonte: IBGE/LSPA-Agosto. Elaboração Agência Prodetec.

Conab

De acordo com a Conab somente no Piauí e na Bahia não ocorreu queda na área plantada e na produção. Nos demais, registraram-se decréscimos entre severos e moderados nas estimativas de produção em virtude da irregularidade climática no Nordeste.

Os piores desempenhos são esperados nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba com quedas de 55,5%, 53,5 e 47,7%, respectivamente. Em Sergipe, a expectativa de perdas gira em torno de 28,7% contra 12,7% em Pernambuco, 6,1 % em Alagoas e 3,8% no Maranhão.

SAFRA DO NORDESTE: ÁREA (1.000 ha), PRODUTIVIDADE (Kg/Ha) E PRODUÇÃO (1.000 t) POR ESTADO.

UF

AREA ANTERIOR

AREA ATUAL

VAR. %

PRODUI. ANTERIOR

PRODUT. ATUAL

VAR.%

PRODUÇÃO ANTERIOR (T)

PRODUÇAO ATUAL (T)

VAR.%

MA

1.769,1

1.728,7

(2,3)

 2.431

 2.392

(1,6)

4.300,6 4

4.135,5

(3,8)

PI

1.388,1

1.410,6

1,6

2.001

 2.222

 11,0

2.777,3

3.134,3

 12,9

CE

921,5

 903,7

(1,9)

 621

 282

(54,6)

572,6

254,8

(55,5)

RN

69,0

62,7

(9,1)

 555

 284

(48,8)

38,3

 17,8

(53,5)

PB

155,3

122,9

(20,9)

374)

247

(33,9)

58,1

30,4

(47,7)

PE

482,0

466,6

(3,2)

392

354

(9,8)

188,9

165,0

(12,7)

AL

81,2

66,3

(18,3)

828

952

14,9

67,2

63,1

(6,1)

SE

266,5

 199,1

(25,3)

4.216 

4.025

 (4,5)

1.123,5

801,3

(28,7)

BA

3.154,6

 3.243,4

 2,8

2.433

 2.530

 4,0

7.674,2 

8.207,3

 6,9

Fonte: Conab

Postada em 10 set. 2015.

Voltar

 

NO NORDESTE, PREÇOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL POUCO VARIAM EM OUTUBRO

Agência Prodetec – Brasília – 01 dezembro 2017. O Índice Nacional da Construção Civil apurado pelo IBGE PI) em outubro apresentou...

PIB DO NORDESTE PERMANECE CONCENTRADO EM 4 ESTADOS

Agência Prodetec - Rio de Janeiro – 01 dezembro 2017. Dados das Contas Regionais relativas a 2015, divulgados pelo Instituto Brasileiro...

SALDO DE CRÉDITO DO NORDESTE CONTINUA A CAIR, EM OUTUBRO

Agência Prodetec – Brasília – 01 dezembro 2017. O saldo de empréstimos do sistema financeiro do Nordeste alcançou R$ 396 bilhões...

Estudos e Pesquisas

PIB DO NORDESTE CRESCE ENTRE 2002 E 2015, MAS PERMANECE DISTANTE DAS REGIÔES MAIS RICAS

Crescimento do PIB foi negativo em 2015 para todos os estados brasileiros, mas a participação do Nordeste no agregado nacional melhorou, de 13,9% para 14,2%, ainda muito longe da representatividade do Sudeste que responde por 54% do PIB do país. Agência Prodetec - Rio de Janeiro – 01 dezembro 2017. O estudo "Contas Regionais do Brasil 2002-2015" divulgado pelo IBGE mostra que...

ESTUDO MOSTRA CEARÁ E MARANHÃO COM A MELHOR SITUAÇÃO FISCAL DO PAÍS, EM 2016.

Uma análise realizada por pesquisadores cariocas indica que estados pobres como Ceará e Maranhão apresentam situação fiscal bem melhor que os chamados estados ricos, com desempenho superior em aspectos como dívida, despesa com pessoal, disponibilidade de caixa e investimentos. AGÊNCIA PRODETEC ΩΩ [ABRIL 2017] Rio de Janeiro – A situação fiscal da maioria dos estados do Nordeste é melhor que a apresentada...

Veja também

GOVERNO FEDERAL SE APROPRIA DE RECURSOS DO FNE PARA FINANCIAR BOLSAS DE ESTUDOS

A proposta para o próximo ano prevê aplicações no montante de R$ 23,9 bilhões e, além dos setores tradicionais, o...

EXPORTAÇÃO DE CAFÉ DO NORDESTE RECUOU EM 2017

Agência Prodetec - Rio de Janeiro – 01 dezembro 2017. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Comercio Exterior e Serviços...

VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA (VBP) DO NORDESTE CHEGA A R$ 42,4 BILHÕES EM 2016

Brasília (Agência Prodetec) - De acordo com Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o Valor Bruto da Produção agropecuária...

A agência Prodetec é uma ferramenta voltada para divulgar artigos, estudos e pesquisas
sobre assuntos relacionados com o Nordeste

Imagine Comunicação Digital

Todos os direitos reservados. Reprodução do material permitida mediante citação da fonte.