Anuncie Aqui

EMPREGO E RENDA. TAXA DE DESOCUPAÇÃO PIORA NO NORDESTE EM 2015

Rio de Janeiro (Agência Prodetec) - De acordo com a Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desocupação encerrou dezembro em 6,9%, a maior já registrada desde 2007).

No acumulado do ano, a média de 6,8% sofreu alteração de dois pontos percentuais em relação a 2014 (4,8%), interrompendo uma trajetória de queda do desemprego observada desde 2010.

Esse panorama, no entanto, ainda é bem mais satisfatório que aquele registrado no inicio da série, em 2003, quando a taxa atingiu 12,3%, informam os técnicos do IBGE.

Em termos regionais, na comparação com dezembro de 2014 a taxa de desocupação quase dobrou no Recife, de 5,5% para 10% (4,5 pontos percentuais) enquanto em Salvador, passou de 8,1% para 11,9% (3,8 p.p.). Foram as maiores variações relativamente às demais áreas pesquisadas, pois em Belo Horizonte, pulou de 2,9% para 5,9%; no Rio de Janeiro, de 3,5% para 5,1%; em São Paulo de 4,4% para 7% e em Porto Alegre, de 3,6% para 5,9%.
Em relação a dezembro de 2014, o contingente de desocupados cresceu 61,4% (mais 659 mil pessoas em busca de trabalho), com Salvador registrando o menor aumento (46%) e Belo Horizonte (97,9%), o maior.

Essa pesquisa do IBGE – que deixará de ser publicada este ano, substituída pela PNAD Contínua – é feita apenas nessas seis regiões metropolitanas do Brasil.

A PME indica que o percentual médio de trabalhadores com carteira assinada no setor privado, em relação à população ocupada, passou de 50,9% (12,1 milhões de pessoas) em 2014 para 50,3% (11,7 milhões) em 2015. A média anual da população ocupada em 2015 foi estimada em 23,3 milhões de pessoas, 1,6% a menos que em 2014.

No recorte regional, ocorreu durante o mês estabilidade no contingente de trabalhadores com carteira de trabalho assinada em todas as áreas pesquisadas. Na comparação com dezembro de 2014, Belo Horizonte (-7,4%), Porto Alegre (-7,4%), Rio de Janeiro (-5,5%), Recife (-5,5%) e São Paulo (-3,7%) apresentaram queda. Em Salvador não foi verificada variação significativa.

Renda

Ainda de acordo com a PME, 2015 assinala também a interrupção de dez anos de ganhos sucessivos na renda do trabalhador. A média anual do rendimento real da população ocupada em dezembro alcançou R$ 2.235,50, 1,4% maior que a apurada em novembro (R$ 2.204,52) e 5% abaixo da média registrada em dezembro de 2014 (R$ 2.373.02). Em escala mensal, houve elevação de 2,9% no Recife e queda de 0,9% em Salvador.

Conforme a pesquisa, na comparação com dezembro/2014, as perdas afetaram todas as regiões metropolitanas pesquisadas. Salvador teve o pior desempenho (-10,9%) e Recife (-3,5%), a menor.

RENDIMENTO MÉDIO REAL - A PREÇOS DE DEZEMBRO DE 2015
REGIÃO METROPOLITANA: SALVADOR
 
IDADE MÍNIMA: 10 ANOS

ESPECIFICAÇÃO

Estimativa em R$

Estimativa em R$

Estimativa em R$

Habitualmente recebido por mês – trabalho principal

Dez.14

Nov.15

Dez.15

Pessoas Ocupadas(*)

1.792,48

1.612,02

1.597,90

Empregados no Setor Privado(**)

1.545,64

1.518,29

1.526,50

Empregados no Setor Público

3.214,21

3.080,27

3.014,40

Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal

 

 

 

Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***)

1.665,82

1.620,50

1.613,60

Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**)

989,31

1.024,94

1.153,30

Conta Própria

1.353,34

1.174,66

1.182,60

Fonte: PME-IBGE.

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

 

RENDIMENTO MÉDIO REAL - A PREÇOS DE DEZEMBRO DE 2015
REGIÃO METROPOLITANA: RECIFE
 
IDADE MÍNIMA: 10 ANOS

ESPECIFICAÇÃO

Estimativa em R$

Estimativa em R$

Estimativa  em R$

Habitualmente recebido por mês – trabalho principal

Dez.14

Nov.15

Dez.5

Pessoas Ocupadas(*)

1.716,86

1.611,36

1.657,50

Empregados no Setor Privado(**)

1.514,55

1.357,27

1.363,60

Empregados no Setor Público

3.088,92

3.177,03

3.280,80

Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal

 

 

 

Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***)

1.584,08

1.435,09

1.441,40

Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**)

1.137,51

980,78

957,70

Conta Própria

1.255,28

1.153,61

1.293,50

Fonte: PME-IBGE.

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

Voltar

 

NO NORDESTE, PREÇOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL POUCO VARIAM EM OUTUBRO

Agência Prodetec – Brasília – 01 dezembro 2017. O Índice Nacional da Construção Civil apurado pelo IBGE PI) em outubro apresentou...

PIB DO NORDESTE PERMANECE CONCENTRADO EM 4 ESTADOS

Agência Prodetec - Rio de Janeiro – 01 dezembro 2017. Dados das Contas Regionais relativas a 2015, divulgados pelo Instituto Brasileiro...

SALDO DE CRÉDITO DO NORDESTE CONTINUA A CAIR, EM OUTUBRO

Agência Prodetec – Brasília – 01 dezembro 2017. O saldo de empréstimos do sistema financeiro do Nordeste alcançou R$ 396 bilhões...

Estudos e Pesquisas

PIB DO NORDESTE CRESCE ENTRE 2002 E 2015, MAS PERMANECE DISTANTE DAS REGIÔES MAIS RICAS

Crescimento do PIB foi negativo em 2015 para todos os estados brasileiros, mas a participação do Nordeste no agregado nacional melhorou, de 13,9% para 14,2%, ainda muito longe da representatividade do Sudeste que responde por 54% do PIB do país. Agência Prodetec - Rio de Janeiro – 01 dezembro 2017. O estudo "Contas Regionais do Brasil 2002-2015" divulgado pelo IBGE mostra que...

ESTUDO MOSTRA CEARÁ E MARANHÃO COM A MELHOR SITUAÇÃO FISCAL DO PAÍS, EM 2016.

Uma análise realizada por pesquisadores cariocas indica que estados pobres como Ceará e Maranhão apresentam situação fiscal bem melhor que os chamados estados ricos, com desempenho superior em aspectos como dívida, despesa com pessoal, disponibilidade de caixa e investimentos. AGÊNCIA PRODETEC ΩΩ [ABRIL 2017] Rio de Janeiro – A situação fiscal da maioria dos estados do Nordeste é melhor que a apresentada...

Veja também

GOVERNO FEDERAL SE APROPRIA DE RECURSOS DO FNE PARA FINANCIAR BOLSAS DE ESTUDOS

A proposta para o próximo ano prevê aplicações no montante de R$ 23,9 bilhões e, além dos setores tradicionais, o...

EXPORTAÇÃO DE CAFÉ DO NORDESTE RECUOU EM 2017

Agência Prodetec - Rio de Janeiro – 01 dezembro 2017. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Comercio Exterior e Serviços...

VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA (VBP) DO NORDESTE CHEGA A R$ 42,4 BILHÕES EM 2016

Brasília (Agência Prodetec) - De acordo com Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o Valor Bruto da Produção agropecuária...

A agência Prodetec é uma ferramenta voltada para divulgar artigos, estudos e pesquisas
sobre assuntos relacionados com o Nordeste

Imagine Comunicação Digital

Todos os direitos reservados. Reprodução do material permitida mediante citação da fonte.