Anuncie Aqui

NORDESTE. VENDAS DO COMÉRCIO EM DEZEMBRO CAEM EM TODOS ESTADOS

Rio de Janeiro (Agência Prodetec) - De acordo com dados divulgados hoje pelo IBGE, as vendas varejistas de dezembro de 2015 no Nordeste recuaram em todos os estados em relação ao mês anterior. Os piores desempenhos foram os registrados por Bahia (-7,2%), Sergipe (-6,4%), Maranhão (-5,9%) e Rio Grande do Norte (-5,3%), taxas bem acima da média nacional de -2,7%.

A análise da série sem ajuste sazonal indica em dezembro queda de 7,1% no total das vendas em âmbito nacional na comparação com dezembro de 2014. Considerando o quarto trimestre as vendas diminuíram 6,9%, totalizando -4,3% no fechamento de 2015. Em ambos os confrontos as variações são as mais acentuadas da série histórica, iniciada em 2001.

O comércio varejista ampliado, que inclui o varejo e as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, a variação ficou em -0,9% sobre novembro. Na comparação com 2014, o volume de vendas caiu 11% em relação a dezembro e 8,6% no acumulado do ano.

Desempenho regional

Conforme o IBGE, em dezembro os resultados do varejo foram negativos em todos os estados da Federação com maior baixa no Pará (-11,0%). No Nordeste, os melhores desempenhos ficaram com Piauí (-1,5%), Ceará (-2,4%), Paraíba (-2,8%), Alagoas (-3,2%) e Pernambuco (-3,6%).

No confronto dezembro-15/dezembro-14, apenas o Ceará (-6,3%) apresentou desempenho melhor que a média nacional (-7,1%). Na Bahia, as vendas despencaram 14,3% no período, contra 13,1% em Sergipe, 11,8% no Maranhão, 10,9% na Paraíba e 10,8% em Pernambuco. As quedas foram igualmente acentuadas nos estados de Alagoas (9,3%), Rio Grande do Norte (8,6%) e no Piauí (8,6%).

No caso do comércio varejista ampliado, todos os estados do Nordeste também apresentaram desempenho negativo no acumulado anual tendo como base de comparação dezembro de 2014, com Paraíba e Maranhão, apresentando os piores resultados. Para uma média nacional da ordem de -8,6%, apenas três estados ficaram em melhor situação no Nordeste: Sergipe (-8,2%), Rio Grande do Norte (-5,9%) e Ceará (-8,3%). Os demais superaram a média do país: Piauí (-8,9%), Bahia (-9,3%), Alagoas (-10,9%), Pernambuco (-10,8%), Paraíba (-14,6%) e Maranhão (-11,3%).

 VARIAÇÃO DO VOLUME DE VENDAS NO COMÉRCIO VAREJISTA AMPLIADO (1), POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO - DEZEMBRO 2015.

Unidade da Federação

Variação

Mensal (2)

Acumulada (3)

out/15

nov/15

dez/15

No ano

12 Meses

Brasil

-11,9

-13,2

-11,0

-8,6

-8,6

Maranhão

-23,1

-19,8

-17,1

-11,3

-11,3

Piauí

-14,8

-16,3

-11,8

-8,9

-8,9

Ceará

-14,6

-16,3

-13,3

-8,3

-8,3

Rio G. do Norte

-9,3

-12,0

-14,0

-5,9

-5,9

Paraíba

-20,7

-21,5

-15,1

-14,6

-14,6

Pernambuco

-17,1

-16,4

-17,5

-10,8

-10,8

Alagoas

-17,1

-14,3

-15,9

-10,9

-10,9

Sergipe

-14,8

-17,4

-22,8

-8,2

-8,2

Bahia

-12,7

-12,9

-15,0

-9,3

-9,3

Fonte: IBGE.  (1) Inclui atividades de veículos e de material de construção, além daquelas que compõem o varejo.
 (2) Base: Igual mês do ano anterior = 100
 (3) Base no ano: Igual período do ano anterior = 100
Base 12 meses: 12 meses imediatamente anteriores aos 12 últimos meses = 100. 

Atividade setorial

A maioria das atividades pesquisadas registrou resultados negativos no Nordeste, considerado o acumulado em 12 meses. Embora a sondagem se limite apenas aos principais polos econômicos nordestinos, o panorama de Ceará, Pernambuco e Bahia reflete a situação na região como um todo.

NORDESTE. VARIAÇÃO DE VOLUME DE VENDAS NO COMÉRCIO VAREJISTA AMPLIADO, POR ATIVIDADE, EM 12 MESES.

 

DISCRIMINAÇÃO

UF

UF

UF

 

COMÉRCIO VAREJISTA

CEARA

PERNAMBUCO

BAHIA

BRASIL

1 - Combustíveis e lubrificantes.

-4,4

-7,5

-11,6

-6,2

2 - Hiper, supermercados, prods. alimentícios, bebidas e fumo.

-4,7

-7,5

-3,0

-2,5

3 - Tecidos, vest. e calçados.

+2,1

-13,9

-14,6

-8,7

4 - Móveis e eletrodomésticos

-10,8

-19,1

-14,4

-16,2

5 - Artigos farmacêuticos, med., ortop. e de perfumaria.

+6,1

+7,3

-1,1

+3,0

6 - Livros, jornais, rev. e papelaria.

-11,8

-7,3

-5,0

-10,9

7 - Equip. e mat. para escritório informática e comunicação.

-25,1

-30,6

-24,0

-1,7

8 - Outros arts. de uso pessoal e doméstico.

+0,4

+3,3

-0,6

-1,3

COMÉRCIO VAREJISTA AMPLIADO

 

-

 

 

9 - Veículos e motos, partes e peças.

-18,2

-19,0

-13,3

-17,8

10- Material de Construção.

-6,4

-9,2

-5,2

-8,4

Fonte: IBGE. Elaboração Agência Prodetec.

 

Postada em 16 Fev. 2016.

Voltar

 

NO NORDESTE, PREÇOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL POUCO VARIAM EM OUTUBRO

Agência Prodetec – Brasília – 01 dezembro 2017. O Índice Nacional da Construção Civil apurado pelo IBGE PI) em outubro apresentou...

PIB DO NORDESTE PERMANECE CONCENTRADO EM 4 ESTADOS

Agência Prodetec - Rio de Janeiro – 01 dezembro 2017. Dados das Contas Regionais relativas a 2015, divulgados pelo Instituto Brasileiro...

SALDO DE CRÉDITO DO NORDESTE CONTINUA A CAIR, EM OUTUBRO

Agência Prodetec – Brasília – 01 dezembro 2017. O saldo de empréstimos do sistema financeiro do Nordeste alcançou R$ 396 bilhões...

Estudos e Pesquisas

PIB DO NORDESTE CRESCE ENTRE 2002 E 2015, MAS PERMANECE DISTANTE DAS REGIÔES MAIS RICAS

Crescimento do PIB foi negativo em 2015 para todos os estados brasileiros, mas a participação do Nordeste no agregado nacional melhorou, de 13,9% para 14,2%, ainda muito longe da representatividade do Sudeste que responde por 54% do PIB do país. Agência Prodetec - Rio de Janeiro – 01 dezembro 2017. O estudo "Contas Regionais do Brasil 2002-2015" divulgado pelo IBGE mostra que...

ESTUDO MOSTRA CEARÁ E MARANHÃO COM A MELHOR SITUAÇÃO FISCAL DO PAÍS, EM 2016.

Uma análise realizada por pesquisadores cariocas indica que estados pobres como Ceará e Maranhão apresentam situação fiscal bem melhor que os chamados estados ricos, com desempenho superior em aspectos como dívida, despesa com pessoal, disponibilidade de caixa e investimentos. AGÊNCIA PRODETEC ΩΩ [ABRIL 2017] Rio de Janeiro – A situação fiscal da maioria dos estados do Nordeste é melhor que a apresentada...

Veja também

GOVERNO FEDERAL SE APROPRIA DE RECURSOS DO FNE PARA FINANCIAR BOLSAS DE ESTUDOS

A proposta para o próximo ano prevê aplicações no montante de R$ 23,9 bilhões e, além dos setores tradicionais, o...

EXPORTAÇÃO DE CAFÉ DO NORDESTE RECUOU EM 2017

Agência Prodetec - Rio de Janeiro – 01 dezembro 2017. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Comercio Exterior e Serviços...

VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA (VBP) DO NORDESTE CHEGA A R$ 42,4 BILHÕES EM 2016

Brasília (Agência Prodetec) - De acordo com Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o Valor Bruto da Produção agropecuária...

A agência Prodetec é uma ferramenta voltada para divulgar artigos, estudos e pesquisas
sobre assuntos relacionados com o Nordeste

Imagine Comunicação Digital

Todos os direitos reservados. Reprodução do material permitida mediante citação da fonte.