Anuncie Aqui

MadeInNordeste

NO NORDESTE, EXPORTAÇÃO DE MILHO DIMINUIU 82,1%, EM 2016

Brasília (Agência Prodetec) – As exportações nordestinas de milho no ano passado foram reduzidas de forma significa. Em relação a 2015, a queda alcançou 82,1%, totalizando apenas US$ 30,6 milhões.

De acordo com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), os embarques somaram 182,1 mil toneladas, bem inferiores as 985 mil toneladas de 2015 que corresponderam a US$ 171,7 milhões.

Com a queda no volume de divisas, a participação de milho na pauta regional baixou de 1,17%, em 2015, quando ocupava o 12º lugar no rol dos produtos mais vendidos no exterior, para meros 0,24%, 67º no ranking.

Leia
 
NO NORDESTE, EXPORTAÇÃO DE SOJA CAI PELA METADE, EM 2016

Brasília (Agência Prodetec) – O balanço das exportações nordestinas no ano passado mostra que as vendas de soja em grão decresceram 50,8%, na comparação com 2015. Além da receita, houve queda também no volume físico embarcado.tons

De acordo com os dados divulgados pelo Ministério da Indústria, Comercio e Serviços (MDIC) as vendas externas da soja em grão alcançaram US$ 977 milhões para 2,6 milhões de toneladas embarcadas. Em 2015, esse volume totalizou 5,1 milhões de toneladas equivalentes a US$ 1.988 milhões.

As vendas de bagaço/resíduos de soja atingiram US$ 311 milhões, elevando, assim, para US$ 1.288 milhões a receita obtida pelo complexo soja no Nordeste (grão mais bagaço). Em relação a 2015, o recuo ficou em 45% em termos financeiros e quase 40% em volume. Já o óleo refinado é pouco significativo, registrando vendas de apenas US$ 76 mil, em 2016.

Leia
 
EXPORTAÇÃO. VENDAS DO NORDESTE PARA CHINESES SOFREM QUEDA HISTÓRICA

Brasília (Agência Prodetec) – As exportações nordestinas de 2016 somaram US$ 12.813 milhões no ano passado, 12,5% a menos que o montante apurado em 2015. No mesmo período, as importações chegaram aos US$ 17.539 milhões, com queda de 18,1%.

De acordo com os dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), houve queda tanto nas vendas de produtos básicos (US$ 2.872 milhões) como industrializados - manufaturados (US$ 3.971 milhões) e semimanufaturados (US$ 5.849 milhões).

Leia
 
QUEDA ACENTUADA NO DÉFICIT DA BALANÇA COMERCIAL DO NORDESTE

Brasília, 04 Jan.2017 (Agência Prodetec) – A balança comercial do Nordeste apresentou déficit de US$ 4 bilhões e 726 milhões em 2016, o menor dos últimos cinco anos. Esse comportamento foi consequência da redução ocorrida no nível das importações regionais, as quais estão ladeira abaixo desde 2012.

De acordo com dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), as vendas do Nordeste no ano passado totalizaram US$ 12,8 bilhões, com queda de 12,5% em relação a 2015, quando alcançaram US$ 14,5 bilhões.

Na mesma base de comparação, as importações nordestinas atingiram US$ 17,5 bilhões, 18,1% abaixo do patamar de 2015 (US$ 21,4 bilhões).

Leia
 
CEARÁ E BAHIA LIDERAM EXPORTAÇÃO DE COUROS E PELES NO NORDESTE

Brasília (Agência Prodetec) – As exportações de couro do Nordeste no ano passado tanto quanto as nacionais experimentaram as consequências da crise econômica do país e da retração do mercado internacional. O resultado foi uma queda próxima a 10% nas vendas de 2016 ante o ano anterior.

Em termos de valores, os dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) mostram que as vendas nordestinas de couros e peles, em 2016, totalizaram US$ 241,4 milhões contra US$ 262,1 milhões, em 2015. As quantidades embarcadas, contudo, foram maiores em 2016 relativamente ao período anterior, conforme indica a tabela abaixo.

Os maiores exportadores de couros e peles do Nordeste são os estados do Ceará e da Bahia. Juntos, eles respondem por 97% das vendas.

Leia
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 2 de 30

A agência Prodetec é uma ferramenta voltada para divulgar artigos, estudos e pesquisas
sobre assuntos relacionados com o Nordeste

Imagine Comunicação Digital

Todos os direitos reservados. Reprodução do material permitida mediante citação da fonte.