Anuncie Aqui

Plantão

AGRICULTURA FAMILIAR E DIFUSÃO DE TECNOLOGIAS SOCIAIS

Muito representativa no Nordeste, a agricultura familiar abrange quase metade dos estabelecimentos do gênero no Brasil, 88,3% dos agricultores da Região, os quais ocupam 43,5% da área total explorada pela agropecuária. Além disso, tais estabelecimentos respondem por 82,9% da ocupação de mão-de-obra no campo e por 43% do Valor Bruto da Produção Agropecuária nordestina, produzindo principalmente alimentos básicos necessários à segurança alimentar tais como carne (13,6%), leite (13,7%), feijão (9,8%), mandioca (7,3%), milho (6,3%) e arroz (4,5%).

No Nordeste, a agricultura familiar se fortalece através da diversificação da produção e de opções à exploração tradicional da terra. Do Maranhão ao Sul da Bahia, muitos produtores mostram que é preciso sair do "feijão com arroz" e buscar novos espaços.

Leia
 
CONSUMO EM MACEIÓ: PESQUISA MOSTRA AUMENTO NO ÍNDICE DE INADIMPLÊNCIA EM OUTUBRO

FORTALEZA (BOLETIM ETENE) - Exceto pelo nível da inadimplência, a situação do consumidor em Maceió ainda não preocupa. Em outubro, houve uma pequena elevação no endividamento dos consumidores entrevistados (82,2% contra 81,7%, em setembro), embora abaixo da média mai./out.-2011 (83,1%), o que indica queda no nível de endividamento. Em relação à parcela do rendimento comprometida com dívidas em outubro, a queda foi de 0,6 p.p em relação a setembro, de 34,8% contra 35,4%. O recomendável é que as despesas mensais com dívidas não ultrapassem 30% da renda líquida do consumidor com dívidas.

Leia
 
MÃO DE OBRA: TAXA DE DESOCUPAÇÃO EM PERNAMBUCO É A MENOR DO BRASIL

Fruto do grande fluxo de investimentos públicos e privados atraídos para o Estado nos últimos anos, a economia de Pernambuco apresenta boa situação no mercado de trabalho. A região metropolitana do Recife registrou, no mês de junho, a menor taxa de desocupação do país, recorde em todos os tempos. Pelos dados do IBGE, o índice alcançou 6,1% ante 6,2% da média nacional, a menor desde o início da série, em 2002.

De acordo com a revista Conjuntura Econômica, editada pelo BNB-Etene, a taxa pernambucana ficou 40% abaixo da observada em Salvador (10,2%) e cerca de 30% inferior à de junho de 2010, o maior recuo entre as seis regiões metropolitanas pesquisadas (Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo).

Leia
 
NÍVEL DE CRESCIMENTO DO ICMS NO NORDESTE NÃO ACOMPANHA O DO PAÍS NO 1º SEMESTRE

A arrecadação do ICMS no Brasil cresceu 11,7% entre janeiro e maio de 2011, um pouco acima do percentual registrado no Nordeste (11,2%), quando comparado ao mesmo período de 2010. Esse desempenho significou um incremento real de 5,1% em escala nacional e 4,6% em termos regionais, medido pelo IPCA, conforme dados da revista Conjuntura Econômica, editada pelo BNB-Etene, cujo último volume já se encontra à disposição dos interessados no portal www.bnb.gov.br/publicações.

Leia
 
PRODUTOS BÁSICOS E SEMIMANUFATURADOS DOMINAM PAUTA DAS EXPORTAÇÕES DO BRASIL

Fortaleza (Agência Prodetec) - A apreciação do real nos últimos meses provoca recuo da participação dos produtos manufaturados na pauta de exportação e crescimento significativo dos produtos básicos. Hoje, parte expressiva do comércio exterior do Brasil é concentrada em bens de baixa e media intensidade tecnológica, As vendas são embaladas, principalmente, pela demanda e variação dos preços das commodities metálicas e agrícolas no mercado internacional, nada menos de 42% nos dois primeiros meses do ano, conforme dados da Funcex.

Leia
 
<< Início < Anterior 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 Próximo > Fim >>

A agência Prodetec é uma ferramenta voltada para divulgar artigos, estudos e pesquisas
sobre assuntos relacionados com o Nordeste

Imagine Comunicação Digital

Todos os direitos reservados. Reprodução do material permitida mediante citação da fonte.