Anuncie Aqui

Ritmo de crescimento da produção de soja no cerrado nordestino:12,7% a.a

Fortaleza (Agência Prodetec) -- A produção de soja no Nordeste registrou incremento médio anual de 12,7 % entre1999 e 2008, alcançando, na última safra, 4,8 milhões de toneladas, três vezes mais que a safra obtida há dez anos.

A partir de 2003 esse crescimento foi mais intenso, com aumento anual médio de 13,9%, explicado pela elevação da área plantada e a produtividade da lavoura de 4,2% a.a. Segundo a revista de conjuntura do BNB, a cultura da soja hoje é a mais representativa do Nordeste com o valor bruto de produção (VBP) atingindo R$ 3,4 bilhões em 2008. Essa expansão decorre de fatores como a incorporação de terras baratas do cerrado, a introdução de cultivares adaptadas a essa região, maior apoio financeiro à atividade e melhoria da infraestrutura de armazenamento e de escoamento da produção.

 

O comportamento ascendente dos preços também justifica o significativo desempenho da soja na região. O indicador Cepea/Esalq-Paraná no período abr./2006-09 registrou alta de 95,4%. Outro ponto relevante para o êxito da sojicultura foi a realização de pesquisas tecnológicas e a difusão de seus resultados, segmento em que o Banco do Nordeste atua desde os anos oitenta, através de seu Fundo de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (Fundeci).

Os projetos foram direcionados para difundir a cultura nos cerrados, para a seleção de cultivares adaptadas e resistentes, para o manejo e tratamento dos solos e controle de pragas. Os resultados dessas pesquisas impulsionaram a produção, que, em algumas safras, superou a média brasileira.

Irradiação do desenvolvimento - O plantio de soja nos cerrados nordestinos contribui para irradiar o desenvolvimento local. Regiões como as polarizadas pelas cidades de Luís Eduardo Magalhães e Barreiras, na Bahia, Balsas, no Maranhão e Uruçuí, no Piauí, são exemplos disso. Lá os investimentos públicos em infraestrutura urbana, estradas, pontes e energia elétrica, dentre outros, são alavancados pelo incremento da arrecadação de impostos decorrente dessa atividade. No rastro disso, aumentam as demandas por serviços e consequentemente os investimentos privados nas áreas de construção civil, hotelaria, restaurantes, lazer, saúde, transportes, armazenamento, assistência técnica e do comércio em geral. Essa melhoria, por sua vez, atrai outros investimentos e novos empreendedores, gerando um ciclo virtuoso e gradual de crescimento.

Como observa o agrônomo Airton Saboya Valente Jr., da área de Estudos Rurais e Agroindustriais do BNB/Etene, essas novas fronteiras da soja ainda enfrentam muitos problemas e deficiências, mas o potencial existente é enorme para novos investimentos. Segundo ele, a intenção de aumentar a área cultivada é evidente na maioria dos produtores que, em muitos casos, contam com o apoio do Banco para investimentos e custeio, além de aporte de recursos em ciência e tecnologia.

Variação Anual de Área Plantada,

Produção e Rendimento da Soja entre 1999 e 2008.

 

1999

2008

Variação Média anual

Área Plantada (ha)

779.133

1.580.054

8,17

Produção (mil t)

1.642

4.829

12,74

Rendimento (kg/ha)

2.107

3.057

4,22

Fonte: IBGE; Banco do Nordeste do Brasil.

 

Para saber mais: ver seção Prosa & Verbo

Voltar

 

A agência Prodetec é uma ferramenta voltada para divulgar artigos, estudos e pesquisas
sobre assuntos relacionados com o Nordeste

Imagine Comunicação Digital

Todos os direitos reservados. Reprodução do material permitida mediante citação da fonte.